Horário de Atendimento:

8:00h - 20:00h

  • pt-br

Telefone:

Alergias de Primavera

Alergias de Primavera ou Rinite Sazonal – Saiba Mais

Uma das estações mais bonitas do ano é a Primavera: colorida e cheia de flores. Entretanto, junto com todo esse encanto precisamos conviver com um incômodo: as alergias de primavera, pois o pólen suspenso no ar, mesmo que não percebamos, pode desencadear diversos processos alérgicos, especialmente nas pessoas mais sensíveis.

Embora este tipo de alergia seja bem incômodo, podemos listar algumas dicas de como amenizar e tratar estas crises. Não deixe a alergia acabar com sua primavera, leia este artigo para saber para controlar os sintomas da alergia da primavera.

O que São as Alergias de Primavera

Esta condição também é conhecida como febre do feno e alergias sazonais. À medida em que as plantas liberam o pólen, milhões de pessoas começam a fungar e espirrar. Isto acontece, pois seu corpo sofre uma reação imune quando exposto a diferentes alérgenos, formando assim anticorpos específicos para alergias. Esses anticorpos ficam nas células dos olhos, nariz, pulmões e pele. E da próxima vez que você entrar em contato com um alérgeno específico, seu corpo reage liberando substâncias químicas chamadas histaminas, levando a uma reação alérgica.

Dependendo do que você é alérgico, os sintomas da alergia podem durar até o verão. Isso ocorre porque árvores, gramas e mofo são os gatilhos mais comuns.

Sintomas das Alergias da Primavera

  • Coceira nos olhos
  • Olheiras
  • Olhos marejados
  • Seios da face inchados
  • Coriza, nariz entupido
  • Espirros
  • Garganta arranhando
  • Gotejamento nasal
  • Tosse
  • Comichão na boca, nariz, ouvido e garganta

Estes sintomas são causados pelo pólen que as plantas e árvores liberam nesta estação do ano, alguns tipos de fungos também produzem esporos de mofo. Podem até causar uma crise de asma, em quem já sofre com este problema, além de vir acompanhado pelas rinites alérgicas, e conjuntivite alérgicas.

Quem mais Sofre com as Alergias de Primavera?

Embora a presença de pólen e pessoas com alergias em todos os lugares, alguns estudos comprovam que é nos grandes centros urbanos que as queixas estão mais persistentes. A explicação para isto é que a poluição urbana torna o pólen mais agressivo (contendo uma quantidade maior de proteínas, que o torna ainda mais alérgeno), sendo mais difícil para que as pessoas possam se defender da poluição.

Como Prevenir e Reduzir os Sintomas de Alergias de Primavera

Existem várias alternativas para reduzir os sintomas da alergia da primavera. Algumas delas são:

  • Caso seja alérgico, converse com seu médico para verificar se existe a possibilidade de tomar medicamentos como um anti-histamínico oral, antes dos sintomas iniciais
  • Use purificadores de ar
  • Use aspirador de pó frequentemente, para ajudar a conter o pólen
  • Evite levar o pólen para sua casa, removendo a roupa que usou, e lave tudo antes de usar novamente, lave também o cabelo ao chegar em casa pois pode conter pólen
  • Mantenha as janelas fechadas para impedir a entrada do pólen, principalmente pela manhã, quando a contagem de pólen está em seu ponto mais alto
  • Troque a roupa de cama, a poeira, lave o chão, limpe os móveis, cortinas e estofados.

Existem Tratamentos para as Alergias de Primavera?

Alguns medicamentos podem ser muito eficazes na redução dos sintomas. Pode ser necessário que você e seu médico realizem algumas tentativas para saber qual medicamento serve melhor para o seu caso.

Existem também algumas medidas caseiras que podem oferecer alívio, tais como:

  • Enxaguante salino nasal – A solução salina (água salgada) pode ser aplicada no nariz com uma seringa, isso ajudará a aliviar e abrir as passagens nasais. Esta lavagem deve ser feita com Soro Fisiológico. Veja como fazer a lavagem nasal adequadamente.
  • Inalação de Vapor – Use uma tigela com água quente, cubra a cabeça com um pano e capture o vapor.
  • Vitaminas E e C presentes em frutos cítricos, kiwi, acerola também podem ajudar a combater a alergia.
  • Chá de camomila é um anti-histamínico natural, também pode ser usado os saquinhos de chá escorridos, gelados aplicados nos olhos ajudam a acalmar as inflamações.

Lembre-se sempre de que o acompanhamento com o médico otorrino é a melhor forma de prevenir e tratar sintomas como estes das alergias de primavera.

Referência: Mayo Clinic

Corpos Estranhos na Cavidade Nasal

Corpos Estranhos na Cavidade Nasal

Corpos Estranhos na Cavidade Nasal. Um corpo estranho é qualquer objeto ou substância colocada no interior do corpo. Quando isto acontece no nariz, chamamos de corpo estranho na cavidade nasal. Estes acidentes são causas das mais frequentes de uma visita emergencial ao médico otorrinolaringologista, sendo muito mais comuns em crianças, jovens e pacientes psiquiátricos. Asfixia por corpos estranhos é uma das principais causas de morte em crianças de 0 a 3 anos. Aproximadamente 60% dos casos são do sexo masculino.

Continue lendo este artigo para saber mais sobre esta emergência e como proceder se isto acontecer com o seu filho.

Por que as Crianças Colocam Corpos Estranhos na Cavidade Nasal?

Durante uma brincadeira, imitando o comportamento de outra criança, ou mesmo por simples curiosidade, é comum que as crianças coloquem objetos no nariz. Isso é até natural, já que elas estão aprendendo como as coisas funcionam: inclusive em seu próprio corpo!

É possível que corpos estranhos entrem no nariz de uma criança enquanto ela está dormindo. Geralmente, isso acontece com pequenos insetos.

A palavra “corpo estranho” já significa que ele não deveria estar lá. Embora possa parecer inofensivo, existe um grande risco de asfixia e ferimentos graves. Infecções também podem ocorrer, especialmente se houver demora nos procedimentos de remoção.

O que Pode ser Introduzido “Acidentalmente” no Nariz

São diversos os materiais que podem ser colocados no nariz: isso vai depender da curiosidade do seu filho! Entre os principais casos que observamos em nossa prática clínica, estão:

  • Grãos
  • Bolinhas
  • Pedrinhas
  • Brinquedos pequenos
  • Botões
  • Pecinhas de brinquedos
  • Pequenos pedaços de alimentos
  • Bateria de relógio

É importante dar ainda maior atenção quando o objeto inserido for uma bateria. Elas podem causar ferimentos graves em poucas horas, ou mesmo vazar, causando ainda maiores complicações.

Sintomas de Corpos Estranhos na Cavidade Nasal

Quando uma criança coloca um corpo estranho no nariz, ela pode apresentar alguns sintomas:

  • Secreção nasal apenas de um lado
  • Mal cheiro na região nasal
  • Febre
  • Dificuldade para respirar

Também pode ser possível que uma criança tenha um corpo estranho no nariz e não apresentar nenhuma queixa. Nesse caso, é importante que os pais fiquem atentos para que a situação não se torne mais grave.

Como Realizamos a Remoção de Corpos Estranhos na Cavidade Nasal

A primeira recomendação é manter a calma. Se o seu filho perceber sua apreensão, pode ficar agitado e dificultar a remoção. Ao suspeitar que ele tem um corpo estranho no nariz, leve-o para a emergência médica, mesmo se você não conseguir visualizar o objeto.

É de extrema importância que pessoas não habilitadas não tentem remover o corpo estranho. Isto é uma emergência médica e seu filho deve ser levado imediatamente ao hospital. Quanto mais tempo demorar para realizar a remoção, maior a gravidade do quadro.

Além disso, ao tentar remover o corpo estranho em casa, há riscos de lesões de outras estruturas. Por exemplo, se a criança tentar assoar as duas narinas ao mesmo tempo para expelir o material, isto pode danificar os tímpanos. A remoção no hospital é feita de forma segura, por uma equipe médica altamente qualificada.

O procedimento é realizado da forma mais confortável possível para o seu filho: é aplicado um anestésico tópico dentro do nariz e, quando necessário, um medicamento que ajuda na prevenção de hemorragias. Após a remoção, pode ser necessário o uso de antibióticos, para prevenir infecções.

Referência: Stanford Children’s Health

lavagem nasal

Como fazer a lavagem nasal?

Uma pergunta frequente do paciente no consultório é como fazer a lavagem nasal e para que serve este procedimento. Assim, elaboramos este artigo, para explicar a você alguns detalhes importantes sobre este assunto. Acompanhe.

Como fazer a lavagem nasal

A Importância da Lavagem Nasal

Dentro do nariz temos os cílios que servem para circular e mover o muco nasal naturalmente. Quando utilizamos o soro fisiológico no nariz auxiliamos o batimento desses cílios e o muco se torna mais fluido. Desta forma o excesso de muco é retirado e há uma melhor circulação dentro do nariz, evitando assim acúmulo de impurezas que podem causar problemas como sinusite e resfriados.

A Escolha do Soro Fisiológico

A lavagem nasal deve ser feita com soro fisiológico a 0,9%. Nas farmácias existem vários tipos de sprays nasais prontos para realizar a lavagem nasal. Estudos recentes têm demonstrado que para uma lavagem nasal mais efetiva é necessário alta pressão e grande quantidade de soro fisiológico, portanto, o spray do tipo jato continuo é o mais efetivo para essa função.

Passo a Passo de Como Fazer a Lavagem Nasal

Deve-se colocar o spray no interior do nariz e aperta-lo durante 5 segundos nas duas narinas. O soro irá escorrer pela garganta e voltar pelo nariz. Não tem problema, só basta assoar o nariz devagar e cuspir o excesso.

Recentemente alguns vídeos na internet tem circulado com crianças fazendo a lavagem nasal com auxilio de uma seringa. Pode ser feito também, mas deve-se lembrar que crianças muito pequenas, antes dos 3 anos de idade podem se engasgar, ou ter problemas de otite quando o procedimento é realizado dessa forma.

Então para os pequenos o ideal é o spray nasal vendido em farmácias.  Para os adultos, no entanto, pode se fazer a lavagem com seringa de 60 ml.

Cuidados que Devem Ser Tomados

Lembrar sempre que o soro fisiológico perde as suas propriedades e pH apos aberto, então o ideal é comprar frascos menores e armazená-los em geladeira.

O habito de lavagem nasal com água e sal não é recomendado, pois pode irritar ainda mais a mucosa nasal dependendo da quantidade de sal que é colocada na água.

rinite ou sinusite

Eu Tenho Rinite ou Sinusite, Doutor?

Uma das perguntas mais frequentes nos consultórios de otorrinolaringologistas no outono e inverno, é a diferença entre rinite ou sinusite. Como este assunto causa muita polêmica, vamos tirar a sua dúvida neste artigo. Acompanhe!

Rinite ou Sinusite

A rinite e a sinusite, na maioria das vezes, estão presentes ao mesmo tempo no paciente. Por este motivo, atualmente usamos a palavra Rinossinusite para designar estas condições.

A rinite consiste numa inflamação da mucosa nasal. Esta pode ser causada por alergia ou não, sendo que o paciente apresenta como principais sintomas: nariz entupido, coriza, coceira e espirros. Além disso, pode ocorrer dor de cabeça, especialmente na região frontal.

Já a sinusite é uma infecção desta mucosa, causada por vírus ou bactérias. Como toda infecção, a sinusite gera sintomas como febre, dor de cabeça muito intensa, secreção nasal amarelada ou esverdeada, nariz entupido , halitose, tosse e dor de garganta.

Sintomas da Rinite e Sinusite

Como vimos, alguns sintomas da rinite e da sinusite são parecidos. Isso acontece, pois a pessoa que tem sinusite quase sempre também possui rinite. É difícil ocorrer de estas duas condições não estarem ligadas. E quase sempre uma pode ser consequência da outra.

Sempre que uma pessoa apresenta esses sintomas que indicamos acima, deve procurar o médico otorrino.  É apenas este especialista que está apto a diagnosticar qual o real problema e suas causas, para indicar a melhor forma de tratamento.

Diagnóstico da Rinite ou Sinusite

O diagnóstico destas doenças é sempre clínico. Isto quer dizer que, durante a consulta, o otorrino realiza um exame médico detalhado do paciente. Em alguns casos, pode ser necessária a realização de exames endoscópicos, laboratoriais ou de imagem para confirmar a patologia.

Prevenção da Rinite ou Sinusite

Veja a seguir algumas dicas que você pode colocar em prática, para evitar a rinite e sinusite:

  • Ingerir em média 3 litros de água diariamente;
  • Realizar lavagem nasal, com soro fisiológico a 0,9%, ao menos 3 vezes por dia;
  • Manter a casa sempre limpa e bem arejada;
  • Utilizar edredons ao invés de cobertores para dormir;
  • Evitar tapetes, carpetes, cortinas e pelúcias, principalmente dentro do quarto;
  • Trocar roupas de cama frequentemente, pelo menos uma vez por semana.

Tratamento da Rinite ou Sinusite

Quando falamos em tratamento, é importante esclarecer que podemos considerar o termo “cura” na maior parte dos casos de rinite. Para esta condição, precisamos pensar em controle, embora ela possa melhorar com o tempo.

Em relação à sinusite, existe sim a possibilidade de cura, na grande maioria dos casos. Mesmo a sinusite crônica, com os cuidados adequados e o tratamento correto, não é necessário nenhum tipo de intervenção cirúrgica para solucionar este quadro.

Evite a Automedicação!

Não utilize nenhum medicamento, antes consultar o especialista! É comum que os pacientes comprem os fármacos vasoconstritores nasais, por conta própria, para tratar a rinite. Não faça isso! Estes medicamentos podem causar dependência, piorar ainda mais a obstrução nasal, reduzir a capacidade de olfato e até mesmo levar ao desenvolvimento de problemas cardiológicos.

Procure o seu médico otorrinolaringologista de confiança, pois ele é o profissional mais indicado para tirar as suas dúvidas e prescrever o tratamento adequado para o seu caso!   

Dra. Heloisa dos Santos S. Nunes

CRM 150199

Política de Privacidade/Cookie. Este site não hospeda ou recebe financiamento de publicidade ou exibição de conteúdo comercial. Política de Banners: Não temos publicidade e não fazemos trocas de Banner ou Display. Missão Do Site: prover Soluções cada vez mais completas de forma facilitada para a gestão da saúde e o bem-estar das pessoas, com excelência, humanidade e sustentabilidade.Todos os utilizadores da plataforma se comprometem a divulgar apenas informações verdadeiras. Caso o comentário não trate de uma experiência pessoal, forneça referências(links) sobre qualquer informação médica à ser publicada. Os comentários são visíveis a todos. Podem ser alterados ou apagados.